sábado, dezembro 29, 2012

CINEMATOGRÁFICA



MÁQUINA CINEMATOGRÁFICA

Marca GAUMONT GRAN PRIX 1900, fabricada na França em 1900. Esta Máquina foi usada a partir de 1918 no CINE REX, que pertencia a família do Sr. Crispim Magalhães.
O cinema localizava-se onde hoje está o Edifício Benfica, na Praça Dr. Augusto Gonçalves em Itaúna mg .
Doação: Sr. Ledo Magalhães

Fotografia: Charles Aquino
Fonte : Museu de Itaúna 

quarta-feira, dezembro 26, 2012

Santanense Parte 2

Emancipação Santanense Parte 02



FOLHA DO OESTE

Sebastião Nogueira Gomide    -  Diretor

Nº 442  ITAÚNA , SÁBADO 25 DE MAIO DE 1963   ANO 20

REVOLTA !


Esperamos que todos os itaunenses, dignos do nome, se unam conosco e combatam o Insensato Projeto. À liderança udenista itaunense, principalmente, cabe todo trabalho de fazer fracassar a iniciativa.  Àquelas que tiveram tão nefanda Ideia que pensem um pouco em Itaúna pois todos eles foram nascido aqui. É em ocasiões assim que a gente tem saudade do Cel. Manoelzinho, do Záu, do Major Senocrit e outros lutadores. Publicamos abaixo as declarações do C.I. José Lima, presidente do PSD e grande industrial sobre o grande problema. No próximo número publicaremos as declarações do Dr. Hely Gonçalves de Sousa, Presidente da UDN local e grande político local. Este jornal só cessará a campanha, quando vitoriosa. Quero externar minha opinião, sem considerar o fato de ser político militante e Presidente do PSD, atendendo apenas aos meus impulsos de cidadão itaunense, patriota, devotado à sua terra, e, principalmente, filho daquele próspero Bairro. Nasci em Santanense e muito me orgulha deste fato, tão marcante em minha vida. Mas, não posso conceder, agora, que, por uma simples ficção jurídica, totalmente divorciada da realidade, eu deixei de ser também itaunense.
Itaúna e Santanense são uma coisa só. Frutos da mesma árvore. Tem as mesmas tradições, o mesmo passado, e a mesma origem comum. Santanense sempre foi o Bairro mais importante de Itaúna. Hoje tão bem cuidado, com o asfalto que lhe deu o ilustre e digno Governador Magalhães Pinto, constitui realmente justo orgulho de nossa terra.  A fábrica de tecidos, pioneira em Santana, é na região, que tanto projeta o nome de Itaúna além de nossas fronteiras, tão identificada com o nome de nossa terra, não pode, um dia para outro, ser arrancada de nosso meio, onde produz tanto e tamanho benefícios pra nossa gente e para a nossa cidade. Quero crer mesmo que tal providência está sendo tomada sem o devido cuidado e com um pouco de precipitação.
 Itaúna e Santanense, ambos, a cidade e o bairro, muito se prejudicarão com a concretização desta ideia. Juntos, só poderão progredir e crescer. Somando suas forças darão ao nosso município uma pujança que há de nos colocar em posição muito privilegiada em nosso Estado. Divididos, estaremos mal colocados, com pouca expressão e em lugar sem relevância. Unidos, seremos os primeiros na produção, no pagamento de impostos federais e estaduais e muito poderemos pedir e reivindicar para nossa terra  e sua laboriosa população.  
Nada altera repórter, interrompeu o ilustre entrevistado, perguntando-lhe o que devia ser feito para impedir a emancipação do Bairro!
- Devemos nos unir, sem coloração política, sem outros interesses que não sejam  o de defender Itaúna e Santanense, UDEN,PSD,PTB,MTR,PR,PSP, povo e autoridades, todos, unidos, devemos nos dirigir ao Sr. Governador, aos nossos ilustres deputados, dará quem nos defendam e impeçam que tal esbulho aconteça. Os ilustres e dignos membros da diretoria da UDN municipal, que tanta força tem junto ao Sr. Governador Magalhães Pinto , sob a liderança de meu particular amigo Ronan Soares , muito poderão fazer para que Itaúna e Santanense permaneçam unidas e identificadas, conforme nosso passado rico de tradições e de glórias comuns.
De minha parte, coloco-me ao inteiro dispor não só de “FOLHA DO OESTE”, sempre disposta a defender os reais interesses de Itaúna, para ao lado de nosso povo, trabalhando com os demais partidos e autoridades, tudo fazer para que não se rompam os laços que sempre uniram Santanense e Itaúna. 

Digitalização conforme original 
Fonte pesquisa Instituto Cultural Maria de Castro Nogueira -  ICMC

sexta-feira, dezembro 21, 2012

Bohemia


Fotografia meramente ilustrativa

FOLHA DO OESTE

Registrada sob o nº 403
Fundador: Sebastião Nogueira Gomide
____________________________________________
Nùmero 82       Itaúna, 15 De Novembro de 1952    Ano 8
____________________________________________

Eu e a Zona Bohemia

Recebemos a carta que abaixo transcrevemos sem comentários.

Exmo. Sr. redator da FOLHA DO OESTE

Sendo um leitor assíduo de seu jornal, admirando profundamente as crônicas do mesmo, venho pedir-lhe para que faça uma reclamação através da FOLHA DO OESTE, que é o seguinte:
  Sou um homem que tenho viajado por quase todo o brasil, e conheço a zona boemia das diversas cidades por onde passei e as mulheres são tratadas com justiça conforme o procedimento das mesmas. E aqui nesta cidade as pobres mulheres, são perseguidas com a maior crueldade. Mesmo aquelas que têm procedimento irrepreensível, a ponto das pobres mulheres não ter licença de sair à rua para comprar o indispensável. Isto é uma barbaridade, estão sendo tratadas como verdadeiros animais. Eu sou um homem casado vivo bem com minha família , não me interessa qualquer mulher , faço isso apenas por instinto de humanidade, elas não tem onde morar. Moram em casebres onde não tem água sem o mínimo conforto, misturadas com as famílias sem a menor liberdade. Quero que o Sr. faça um apelo  ao  Sr. Prefeito desta cidade de Itaúna, para fazer  uma vila para elas, mais afastadas das famílias, para que elas tenham liberdade e mais conforto. E ao Sr. Delegado que faça justiça castigando as que errarem, pois existe a polícia é para manter ordem, mas com espírito de justiça e humanidade.
As mulheres por si já sofrem pela vida que levam, sendo criminosas pelo destino que cumprem e assim sem liberdade de espécie alguma estão sujeitas a passar  fome com os filhos pequenos pois quase todas tem filhos para tratar.

J.P.C

Digitalização conforme original 
Fonte pesquisa Instituto Cultural Maria de Castro Nogueira -  ICMC
Fotografia meramente ilustrativa

quinta-feira, dezembro 20, 2012

Cine Rex


História do nosso Cinema

*Luiz Otávio RABELO

 Vamos dar sequência do nosso cinema, ou melhor, às  nossas casas exibidoras das produções da 7ª arte, que iniciamos com o CINE REX, por ser o mais antigo. Nada é mais justo que relembrarmos, ao longo do tempo, para que o inesquecível CINE REX desse seu recado, quando ao lazer de primeira qualidade e ao enriquecimento cultural da população barranqueira. Grande e abnegado foi o elenco de pessoas, que deu o melhor de si, para que o cinema de Itaúna desempenhasse seu brilhante papel, no campo do lazer e da arte, em benefício dos itaunenses. Nosso objetivo é esboçar um apanhado do pessoal envolvido , na realização dos eventos desse entretenimento da época . Se porventura alguém não constar, no rol dos colaboradores, foi devido a um lapso de memória ou falta de informações seguras. Os nomes, com suas respectivas atribuições , serão objetos de uma menção ulterior. Senão vejamos : 
- Crispim Alves Magalhães – Proprietário e bilheteiro
- D. Lurdinha, mulher do Crispim – Proprietária e bilheteira
- Dr. Roberto, genro do Crispim e de D. Lurdinha – Bilheteiro eventual
- Ledo Magalhães – Administração e contatos com as empresas cinematográficas
- Antônio – Encarregado de tabuletas( propagandas de filmes)
- Operadores ( Projeção de filmes) : Josafá, José Moreira, Pershing Romão, José Dentão, José Nicomedes , Hely Santos, Mário Lúcio da Várzea, Oldair  Padilha, Mário Lúcio Moreira, José do Cerrado , Cueca, Célio da D. Biscota.
- Baleiros, Faxineiros, carregadores de tabuletas, carregadores de filmes da estação R.M.V. :
Anís Leão, Mário Queiroz, Ré , Ricardo do Crispim, José Pereira, Boá do Candico, José Caçarola, Sebastião do Cerrado, Braz da D. Filomena, Duquinha, Fernando Lima , Luiz Tatu. Etc.
- Assistentes técnicos :
Antônio Viana e Wagner Marques(Quita)
- Porteiros :
D. Lurdinha (eventualmente), José Caveirinha, Armando Prado, Dr. Roberto (eventualmente)
- Prefixo e sufixo ( toque musicais de princípio e final do lançamento do filme) ...

Alguns filmes inesquecíveis, exibidos no CINE REX na “ Noite do Passado :

- E o vento Levou 
- Sansão e Dalila 
- Viva Zapata 
- Casa Blanca  

CONCLUSÃO
  O cinema é um dos fatores de sociabilidade sem paralelo, na área da relação humana. Todos se acotovelam, todos se reúnem sob o mesmo teto, na busca do entretenimento  comum, para seu descanso, diversão e relax : pobres e ricos, sem distinção de raça ou cor. Cultos e incultos formam uma só família, sentados, lado a lado.  ... “







segunda-feira, dezembro 17, 2012

Santanense Parte 1


Emancipação Santanense Parte 01


FOLHA DO OESTE

Sebastião Nogueira Gomide      Diretor
_
Nº 442     ITAÚNA , SÁBADO 25 DE MAIO DE 1963     ANO 20

REVOLTA !

  O Deputado Alvimar  Mourão, atendendo aos pedidos de uma meia dúzia de políticos udenistas itaunenses derrotados nas eleições municipalistas passadas, apresentou um projeto à CEDAJE da Assemblea Legislativa do Estado, elevando Santanense à cidade com o nome Governador Magalhães Pinto. O novo município anexará Garcias e as suas divisas virão até junto ao Hospital antigo. Fica, pois, uma cidade emendada a outra!!! O projeto está causando uma verdadeira revolta em toda Itaúna...
Dividir Itaúna em duas, porque não gostam do Prefeito! Se a moda pega, toda cidade do mundo poderá ser dividida em duas ou mais. O fato está causando uma revolta imensa à população itaunense. Já telefonamos ao ilustre deputado João Gomes Moreira que prometeu zelar pelos interesses de Itaúna, não deixando passar tal absurdo. Santanense foi elevado a bairro juntamente com Lourdes, Garcias, Vargem da Olaria, Graças e Serrado pela lei nº 169 de 04/11/1952. E o interessante e que o Dr. Jozé Luiz Guimarães, devido a ausência do Prefeito proibiu que nos fornecesse o nº e a data desta lei. – Só depois de um requerimento ao Prefeito, disse êle. Felizmente porém conseguimos a lei. É que nem todos dentro da Prefeitura têm mentalidade primária.

FOLHA DO OESTE 
Enviou ao deputado Alvimar Mourão o seguinte telegrama :
<Deputado Alvimar Mourão>
Assembléa Legislativa Belo Horizonte
Em nome população Itaúna venho protestar seu projeto tornado Santanense município fracionando nossa terra pt  Não concordamos por todos os meios pt Por que não apresenta projeto tornando Catalão, Porto Velho Velho e Niterói cidades ? A gente precisa saber perder pt
Cidade Revoltada
Sebastião Gomide
Diretor <Folha do oeste> 

Digitalização conforme original 
Fonte: Instituto Cultural Maria de Castro Nogueira -  ICMC
Página: 01

quarta-feira, dezembro 12, 2012

Sino Brasil Império


Sino Brasil Império

Confeccionado em Bronze Fundido, no período do Brasil Império, apresenta em alto relevo o Brazão do Império, simbolizando o Poder Imperial e a Igreja Católica, e exalta a união de ambos. 
Pertenceu a antiga Igreja de Nossa Senhora do Rosário , construída pelos negros no ano de 1840,no lugar onde está a atual Igreja Matriz de Sant'ana.
No ano de 1853, houve a troca de imagens de nossa Senhora do Rosário com a de Nossa Senhora Sant'ana.
Com a troca das imagens, a antiga Igreja do Rosário passou a ser Igreja Matriz de Sant'ana, e a Sant'ana passou a ser Igreja do Rosário.
Foi demolida no ano de 1934, e no seu lugar foi construída a atual Igreja Matriz de Sant'ana. 


Fonte: Museu de Itaúna mg



terça-feira, dezembro 11, 2012

Bar Azul

Bar Azul

Velhos tempos de um Bar Azul

...”Ao longo do tempo, "Bar" acabou se tornando uma referência para um lugar de bate papo, encontros profissionais, momentos de descontração e lazer. E foi em meados da década de 40, no balcão do bar do Sr. José Gonçalves de Araújo, mais conhecido popularmente como "Zé da Ramira", que vários itaunenses compartilharam momentos únicos.
Zé da Ramira, deu início à sua vida de comerciante com 19 anos, logo após sair do tiro de guerra. Hoje com 86 anos de idade, é um dos mais antigos no seguimento de bares em Itaúna.
Durante sua trajetória, ele foi o idealizador do Tropicália, Bar do União, Bar do Automóvel Clube, Escondidinho, dentre outros. Zé da Ramira nunca escolheu os nomes de seus bares, essa tarefa ficava para os próprios clientes. Ele foi também o fundador do famoso "Bar Azul", tema constante do nosso artigo. O bar ficava na praça Dr. Augusto Gonçalves - considerado o ponto mais nobre da cidade naquela época. O museu de Itaúna exibe fotos centenárias, um acervo de fotografias de pessoas populares, que mostram também o antigo prédio do bar.
Mas porquê o nome Bar Azul? Simplesmente porque o imóvel era azul, dizem os saudosistas. Toda cidade pequena possui sempre grandes momentos, repassados a todas as gerações. Falar do Bar Azul é resgatar um passado cheio de histórias marcantes. O aposentado Carmo Lúcio de 72 anos, ainda lembra das brincadeiras de carnaval. Ele conta que as moças andavam num automóvel pela cidade fantasiadas, depois iam dançar nos Clubes. Naquele tempo havia Serestas e quando um rapaz queria namorar uma moça, tomava a iniciativa nos parques que apareciam na cidade ocasionalmente, através do "Correio Elegante" ou enviando alguma música.
Mulher entrava em bar? Nem pensar! As mulheres daquele tempo passavam longe dos bares e quem passava perto abaixava a cabeça. Época dos Rádios... só os ricos tinham rádio em casa, as pessoas costumavam ir na casa de Adolfo Mendes Pai, para escutar as Telenovelas ou noticiários. Vários cantores faziam sucesso: Nelson Barbosa, Cascatinha, Nelson Gonçalves e muitos outros que conquistaram um público grande.
O "point" era a Praça da Matriz, palco de quase todos os acontecimentos da cidade: Missa, Bares, Comércio, Política...
Outra curiosidade, é que o Bar Azul foi o primeiro bar a ter sinuca em Itaúna. O Automóvel Clube, foi o primeiro a vender revistas pois não existia banca. O Automóvel recebia a alta elite, onde se discutia política e futebol, e permitia a entrada de mulheres. O Bar do Plínio da década de 60, conhecido hoje como Bar do Sandoval, foi o pioneiro no atendimento 24h na cidade.
E já que o assunto gira em torno de bar e lugares que provocam saudade, entre as décadas de 30-60, vários se destacaram: Petisqueira, Bar do Cilico, Bar do Grilo – "Ponto dos políticos", O Século XX, o famoso Cine Rex, Matinê 10h, entre outros. Naquele tempo não existia violência, a cidade crescia lentamente.
Por todos esses anos Zé da Ramira tocou com paixão os bares que possuiu, e hoje seu nome virou referência e alusão aos velhos tempos. O bar do Zé da Ramira deu um novo sabor ao dia a dia dos itaunenses. Um empreendedor nato no comércio e na cozinha. "O mais importante era fazer o cliente se sentir bem no bar, ser amigo" palavras do Zé.
Foi ele mesmo o criador do "galeto na brasa", o prato mais famoso e gostoso, que nem precisamos detalhar muito; porque não será difícil descobrir quem nunca saboreou o que o Sr. Zé prepara com muito carinho. Pra ele uma satisfação; para os clientes: um amigo. Ele mesmo gosta de preparar o tira gosto de alguns clientes, outros já trazem o tira gosto pronto de casa. A confiança é tanta que cada cliente faz o controle do seu consumo.
Um grande homem, simples e profissional, dono de uma bagagem de conhecimentos invejável. Um bar simples - de conteúdo raro, é a marca de Zé da Ramira em todos esses anos.”


Texto: Janine Lorenzo


Observação Importante :



Antes de postar este texto , procurei o senhor José Gonçalves de Araújo mais conhecido por Zé da Ramira para saber sobre  quem foi o fundador do Bar Azul. Ele confirmou que fundou  o Bar Azul e logo vendeu para o  Sr. Odorico Gonçalves Drumond Filho, mais conhecido como Neném Drumond que foi proprietário até a demolição do imóvel para construção do Edifício Benfica . Por ter sido uma conversa formal e amigável com o Zé da Ramira , não pedi nenhum documento que possa comprovar ou ao menos gravei nossa conversa , o que foi uma pena .

Charles Aquino



quinta-feira, dezembro 06, 2012

Locomotiva a Vapor Itaúna


Inventário das Locomotivas a Vapor no Brasil

Editado em português e inglês sob coordenação da jornalista Regina Perez.
O livro relaciona todas as 419 locomotivas a vapor que restaram no Brasil.
Cada máquina foi fotografada no local em que estava no momento da pesquisa de campo, que em sua maior parte foi realizada pelo pesquisador Sérgio Mártire e o fotógrafo Américo Vermelho. 

ITAÚNA MG                                                   Baldwin

LOCALIZAÇÃO....................Praça Pública
Responsável............................Prefeitura
Procedência............................ EF Oeste de Minas, Rede Mineira De Viação Férrea Centro – Oeste

Fabricante.................. The Baldwin Locomotive Works
País……………………...……Estados Unidos
Data da Fabricação…………. Agosto de 1919
Bitola...................................... 1,00 m
Configuração das rodas.......... 4-6-0
Diâmetros dos cilindros.......... 38 cm
Curso dos pistões.................... 51 cm
Comprimento...........................16,92 m
Nº de série............................... 52260
Prefixo..................................... 227
Estado da locomotiva.............. Estática
Data do levantamento............. Setembro 2005

Inventário das Locomotivas a Vapor no Brasil  / Pág.: 157