quinta-feira, junho 01, 2017

NOSSOS LIVROS: ESCOLA NORMAL ITAÚNA


*Maria Batista BECHELAINE

Em abril de 1930, houve a festa de oficialização da Escola Normal, que passou a ser dirigida e mantida pelo Estado de Minas Gerais. A Escola Normal de Itaúna foi um grande veículo de cultura e educação no Oeste de Minas. Aqui vinham estudar meninas de muitas cidades de Minas — Pompéu, Abaeté Morada Nova, Tiros, São Gotardo, Santo Antônio do Monte, Bom Despacho, Pitangui, Araújos, Dores do Indaiá, Belo Horizonte, Igaratinga, São Gonçalo do Pará, Divinópolis, Carmo do Cajuru, Pará de Minas, Itaguara, Mateus Leme, Serra Azul, Azurita, Nova Serrana e outras. Cá chegavam geralmente viajando de trem.
Todas estas alunas, aqui levavam para suas cidades muita vontade de ensinar, de transmitir tudo que aprenderam, de alfabetizar. Contribuíram para melhorar a vida de muitas crianças, de muita gente. Foi grande o impulso emanado da Escola Normal de Itaúna para muitos municípios mineiros. Para isto contribuíram, com grande esforço, dedicação e ideal, os professores que ali lecionaram, desde o princípio, e lecionam até hoje.
O estudo, naquele tempo, baseava-se muito nos livros adotados pelos professores. Eis uma lista desses livros, adotados no curso normal:
Ø Grammatica expositiva, curso superior, Eduardo Carlos Pereira, Cia. Editora Nacional, São Paulo;
Ø Grammatica Theorica e prática de Lingua Francesa, 2 volumes, José Frcº Halbout, Livraria Francisco Alves, RJ,1930;
Ø Premier Livre de I’Enfance, M. Delapalme, Librairie Hachette, Paris,1922;
Ø Lectures pratiques de langue Française, J. Monteiro, Librairie Aillaud, Paris-Lisconne, 1909;
Ø História do Brasil, João Ribeiro, Livraria Frcº Alves, RJ, 1929;
Ø Pontos de História do Brasil, carlos Goes, Officinas Graphicas de Oliveira Costa & Comp., Belo Horizonte, 1927;
Ø Geographia do Brasil, Delgado de Carvalho, Livraria Frº Alves, São Paulo – Belo Horizonte, 1931;
Ø Geographia elementar, C.M. Delgado de Carvalho, Comp. Melhoramentos de São Paulo;
Ø Psycgologia, A. de Sampaio Dória, Cia. Ed.Nacional S.P;
Ø História Natural, Curso superior, 3 volumes, Collecção F.T.D., Livraria Paulo de Azavedo & Cia. Rio – SP – BH, 1924;
Ø Primeiras noções de sciencias, Collecção F.T.D., Livraria Paulo de Azavedo & Cia. Rio – SP – BH, 1923;
Ø Noções de sciencias physicas e naturais: Physica e chimica, por uma reunião de Professores, Livraria Paulo de Azevedo & Cia., Rio – SP – BH, 1927;
Ø Tratado de química elementar, Francisco Ribeiro Nobre, Livraria Chardron-Lelo & Irmão Ltda, Porto, 1926;
Ø Tratado de física elementar, Francisco Ribeiro Nobre, Livraria Chardron-Lelo & Irmão Ltda, Porto, 1929.
Estes são apenas alguns dos livros, que todas as alunas deviam adquirir, os quais ainda tenho em meu poder. Às vezes, tenho a impressão de que o “curso normal” daquele tempo era quase um curso superior de educação.


REFERÊNCIA:
BECHELAINE, Maria Batista. Traços de giz em quadro negro: Memórias de uma estudante que se tornou professora. Belo Horizonte, ed, O Lutador, 1999, p.29,30.
Acervo: Shorpy
Pesquisa & Organização: Charles Aquino
Texto: *Maria Batista Bechelaine (In Memoriam)

0 comentários:

Postar um comentário